terça-feira, 1 de abril de 2008

Papel

O tema de hoje é o papel.
Muita gente me pergunta que papel é se deve usar para o origami.

Eu uso vários tipos de papel, e acho que que há modelos que se fazem melhor com uns papéis do que outros, normalmente é mais importante que a folha de papel seja o mais quadrada possível, do que propriamente o tipo de papel.

Eu costumo usar papel normal de fotocópia, colorido, que pedi para cortarem em quadrados na papelaria. Estes quadrados têm cerca de 14cm de lado (pedi para cortarem a folha de papel A4 ao meio, para tamanho A5, e depois cortarem o lado mais comprido para ficar quadrado). Estes quadrados são grandes o suficiente para experimentar um novo modelo, do qual ainda não se sabe a precisão necessária para as dobras (também é um bom tamanho para principiantes), sem se tornarem demasiado grandes para fazer as dobras.
Do pedaço de papel que sobra é possível obter 2 quadrados de papel. Estes já são mais pequenos, pelo que é necessário ser mais preciso com as dobras. Eu gosto de usar estes quadrados para fazer borboletas ou flores. Também costumo usar este pedaço de papel para fazer sapos, que necessitam de uma folha rectangular, com a proporção 2:1. Mesmo assim ainda sobra um pequeno pedaço de papel que pode ser usado, mas para esse já é preciso muita prática e paciência.
Existem também diagramas desenhados especificamente para aproveitar o pedaço de papel que sobra de transformar uma folha do formato A para um quadrado.
Também uso papel de fotocópia normal, muitas vezes já impresso, e que corto à medida que me interessa.

Outro tipo de papel que se encontra facilmente, apesar de não ter as dimensões ideais é o papel de embrulho. Tal como o papel de fotocópia é necessário cortar à medida. No entanto permite obter modelos muito atractivos, devido à diversidade de cores existentes no mercado e devido ao facto de normalmente este papel ter uma cor ou desenho numa face e outra (ou branco) no verso da folha.
Além do papel de embrulho também é possivel encontrar facilmente papel metalizado. Este papel vinca muito e por vezes rasga ao vincar ou cortar. É necessário ter muito cuidado ao dobrar o modelo e evitar dobras desnecessárias, uma vez que se vão notar no final.

Os blocos de notas (tipo Post It, mas sem cola) também são uma boa fonte de papel. Dependendo da marca, existem blocos com as folhas soltas, ou agrupadas com cola numa das arestas das folhas, com mais ou menos cores, com o quadrado mais ou menos perfeito. Este blocos têm vários tamanhos, mas o normal é entre os 8 e os 10 cm, o que é um bom tamanho para a maior parte dos modelos, em especial para os origami modulares.
Este é o meu papel preferido para fazer origami.
Quando se compra um destes blocos deve-se ter muita atenção às dimensões indicadas, uma vez que 8cm x 9cm pode parecer quadrado à primeira vista, mas quando vamos a dobrar verificamos que não é nada quadrado, e é quase impossível cortar a pequena tira de 1 cm que está a mais. (Já me aconteceu)

Outra fonte acessível de papel são os livros e kits de origami. Existem vários livros de origami à venda nas livrarias que já trazem algumas folhas de papel, normalmente de duas cores.

Também é possível encontrar papel próprio para origami (este papel tem normalmente duas cores e é mais fino que o papel de fotocópia) em algumas papelarias especializadas. Eu considero este papel demasiado caro.

Existem outros papéis que se podem usar, muitas vezes o papel mais adequado depende do modelo. Existem modelos que dão algumas indicações sobre o tipo de papel a usar, se deve ter duas cores para realçar as características do "boneco", se deve ser fino ou forte...

Agora vamos à parte dos papéis que não resultam muito bem.
Comecemos pelo papel de lustro. Este papel, além de normalmente não vir cortado à medida, tem tendência a perder a cor quando vincado.

O papel crepe (e outros do género), devido às "rugas" são difíceis de vincar a direito, além de esticarem ao longo da dobra.

Os papéis mais finos, como o papel de seda são extremamente difíceis de vincar, e rasgam com muita facilidade ao dobrar. No entanto existem algumas técnicas, como colar duas folhas de papel, que lhes dão a resistência adequada para fazer o origami. Se as duas folhas forem de cores diferentes é possível obter modelos muito bonitos.

Não convém usar papel mais grosso ou rijo do que o papel de fotocópia, uma vez que se torna mais difícil de dobrar, e as dobras começam a ficar desviadas pela espessura do papel.

1 comentário:

Catarina'zinha disse...

Uau!

Achei muito importante o que escreveste aqui! E muito util. E isso é o que interessa! Sim por cá nao ha papel de origami e se o quisermos mesmo mesmo temos de o pedir via net... e ás vezes por licitaçao. Desisti dessa ideia e vou pedir para cortar o papel como aqui escreveste!

Beijos...

PS: o papel de lustro tambem faz trabalhos bonitos... =D